Coluna Diamante

Extensão do Jornal Delfos-CE: http://jornaldelfos.blogspot.com.br/
O nome Diamante é por conta do primeiro livro impresso no mundo, o Diamante-Sutra, sem o qual não existiria a impressão como a conhecemos hoje em dia.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

HOMEM CORTEJA AVE POR 3 ANOS PARA SALVAR ESPÉCIE EM EXTINÇÃO

HOMEM CORTEJA AVE POR 3 ANOS PARA SALVAR ESPÉCIE EM EXTINÇÃO



Em uma história surpreendente, George Archibald, um ornitólogo premiado, cortejou a fêmea de uma ave, conhecida como grou-americano, por três anos, até ela colocar seus ovos.

Ele conseguiu criar um improvável vínculo com o pássaro e acredita ter desempenhado um grande papel na preservação de toda a espécie, ameaçada de extinção.

A história começou em 1976, quando a ave Tex era a única fêmea de sua espécie no Zoológico de San Antonio. Ela fazia parte dos cerca de 100 grous sobreviventes no mundo. Pesquisadores da Fundação Internacional de Grous – co-fundada por George, em 1973 - perceberam que os genes de Tex poderiam contribuir para o aumento da população de grous, caso ela reproduzisse em cativeiro. Havia apenas um problema: Tex achava que era humana!

Grous geralmente encontram um parceiro para toda a vida, mas apenas se eles encontram o ideal. Quando um grou quer se relacionar com o outro, ele dá sinais, e caso sejam imitados pelo outro, foi correspondido. Os grous são famosos por sua dança durante a época de acasalamento.


Mas Tex, tendo passado toda a sua vida em cativeiro, estava tão acostumada aos seres humanos que ela simplesmente não podia acasalar com um grou macho. Foi quando George decidiu intervir e fazer o trabalho sozinho. Seu plano era fazer Tex ‘apaixonar-se’ por ele, criando um vínculo com o animal, para que ela pudesse botar os ovos, com processo de inseminação artificial.

"Quando ela chegou, eu coloquei minha cama em sua casa e dormi lá durante um mês", disse George à revista New Yorker, em uma entrevista de 1982. "Eu conversei com ela o tempo todo. À medida que a primavera avançava, comecei a dançar, e ela correspondeu. A dança é como os grous iniciam o acasalamento", completou.

Tex respondeu ao processo de acasalamento de George e ela, finalmente, botou seu primeiro ovo, aos 10 anos. Infelizmente, o sêmen que eles utilizaram para a inseminação era de má qualidade e o ovo era infértil. Mas George não desistiu e tentou a mesma rotina no ano seguinte. Deu certo e, desta vez, o ovo era fértil. "Eu estava tão animado! Eu me senti como um pai",disse ele. Mas, ao nascer, o filhote morreu.


Um ornitólogo japonês tomou o lugar de George, em 1980, mas Tex não gostava dele. No ano seguinte, o avicultor-chefe da ICF, Michael Putnam dançou com ela durante sete dias, mas ela se esquivou dele também. "Ela não vai se contentar com ninguém além de mim", disse George, com carinho.

Logo após a entrevista, George pegou sêmen congelados de grous, em Washington, e voltou para a sede da ICF, em Wisconsin, nos EUA, para uma última tentativa. Após todo o processo de conquista realizado novamente, seus esforços foram recompensados: o ovo era fértil. Em 03 de junho de 1982, ele foi finalmente chocado e o filhote foi chamado de 'Gee Whiz’.

George se tornou uma sensação nacional e foi convidado para um programa de entrevistas na TV. Infelizmente, pouco antes do talk-show começar, George recebeu uma notícia devastadora. Tex havia sido morta por um bando de guaxinins que invadiu seu cativeiro. Quando ele compartilhou a trágica notícia na TV, todo mundo no estúdio engasgou.

Após o programa, o interesse público na situação dos grous tomou grandes proporções. O programa de reprodução em cativeiro continuou e, finalmente, teve uma melhora significativa na população de grous. Inspirado pelo sucesso, o ICF expandiu seu trabalho para outras partes do mundo. George está agora envolvido na conservação de grous na Coreia do Norte, África e América do Norte. Ele visitou áreas remotas do Afeganistão, Cuba, Índia e Rússia para conservar as bacias hidrográficas e pastagens nas quais os grous vivem. Em 2012, George comemorou o 30º aniversário de Gee Whiz.

O canadense George foi adicionado ao Global 500 Roll of Honor da ONU, em 1987. Ele foi o primeiro vencedor do Prêmio de Indianápolis de 2006, e virou membro da Ordem do Canadá, em 2013.