Coluna Diamante

Extensão do Jornal Delfos-CE: http://jornaldelfos.blogspot.com.br/
O nome Diamante é por conta do primeiro livro impresso no mundo, o Diamante-Sutra, sem o qual não existiria a impressão como a conhecemos hoje em dia.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

ENTREVISTA COM LUCIANA DO RÓCIO MALLON

http://colunadiamante.blogspot.com.br/2015/12/entrevista-com-luciana-do-rocio-mallon.html
ENTREVISTA COM LUCIANA DO RÓCIO MALLON


Luciana:_ Alguém topa desmascarar o Papai-Noel dos Correios comigo ?

Ateu Poeta:_ Papai Noel dos correios?


Luciana:_ Sim, é uma farsa. Eu escrevo desde os seis anos de idade para este Papai Noel dos Correios e nunca recebi nada. É tudo um golpe de marketing.

AP:_ É tipo, as crianças escrevem e eles só dão alguma coisa para uma ou outra?

Luciana:_ Sim. Ou para instituições que divulgam os Correios.  Choro só de lembrar.

AP:_ Acho que vi algo sobre isso na Globo uma vez. Mas agora vendo no Google, diz que existe isso há mais de 20 anos

Luciana:_ Sim, Eu escrevo desde meus 6 anos e nunca recebi nada. Depois eu via na TV meninos com cara de malandros ganhando bicicletas e eu só queria um tênis para ir para a escola .

AP:_ Muito mais importante inclusive que uma bicicleta.

Luciana:_ Sim, tênis era muito importante para mim. Estou lançando a campanha chamada "O Papai Noel dos Correios Não Me Deu".

AP:_ Se você quiser eu posso por essa conversa no blog como entrevista

Luciana:_ Sim..Eu aceito.


AP:_Alguma outra pessoa próxima a você que também tenha tido a mesma esperança?

Luciana:_Vou pesquisar. Tem , mas a pessoa tem vergonha

AP:_ Com que idade que você foi perceber que a resposta não chegaria?

Luciana:_ Com 21. Para ver como sou boba.

AP:_ A questão é que é uma mentira social. Você foi induzida a acreditar nisso. Toda cultura tem as suas lavagens cerebrais, mas algumas pessoas possuem a capacidade de ir além, cedo ou tarde.

Luciana:_ Sim. Veja este meu texto:

Como estamos num país democrático, estou lançando a campanha O Papai Noel dos Correios Não Me Deu. Quem me conhece pessoalmente sabe da minha luta. Nos anos 80, eu morava num bairro pobre de Curitiba chamado Jardim Centauro. Mas desde que fui alfabetizada sempre gostei de escrever. 

Em 1979, quando eu tinha 5 anos, vi que um menino escreveu uma cartinha para o Papai-Noel dos Correios. Como em 1980, com seis anos, eu já estava alfabetizada, resolvi escrever uma cartinha para o Bom Velhinho dos Correios pedindo um tênis para ir a escola. 

Já que eu estudava num colégio de freiras e elas eram exigentes. Mas, ele não veio. Porém não desisti. Escrevi até os anos 90 pedindo coisas diferentes, como máquinas de escrever e cadernos porque eu sonhava em ser escritora. 

Mesmo assim não fui atendida. Fiquei até com raiva quando o Papai-Noel dos Correios deu um computador de ultima geração para um menino que só sonhava em ser jogador de futebol. Até o ano 2005, notei que o Papai Noel dos Correios era muito machista porque só dava bicicletas e computadores para crianças do sexo masculino. 

Uma vez eu recebi uma resposta do Bom Velhinho dos Correios, através de uma carta, dizendo para eu ter esperança. Porém, sem o meu presente, é claro. Mas como ter esperança se este Papai Noel dá computadores para meninos que sonham em ser jogadores de futebol e negam presentes para garotas que querem ser escritoras? 

Tudo que eu queria eram minhas cartinhas de volta. Mas me falaram que os Correios levam as cartas das crianças para indústrias de recicláveis que fabricam papel higiênico. Não sei se isto é verdade, mas se for é muita falta de consideração com as palavras de crianças que sonharam em receber um presente e acreditaram neste instituição: Os Correios. 

Um papel despedaçado: é assim que fica meu coração todo o Natal. #opapainoeldoscorreiosnãomedeu Luciana Do Rocio Mallon

Ateu Poeta
Conversa via Facebook em 23/12/2015