Coluna Diamante

Extensão do Jornal Delfos-CE: http://jornaldelfos.blogspot.com.br/
O nome Diamante é por conta do primeiro livro impresso no mundo, o Diamante-Sutra, sem o qual não existiria a impressão como a conhecemos hoje em dia.

domingo, 19 de julho de 2015

PAULO BETTI PARTICIPA DE ATO EM APOIO À DILMA E MANDA RECADO "DEIXEM A PESSOA TRABALHAR"

PAULO BETTI PARTICIPA DE ATO EM APOIO À DILMA E MANDA RECADO "DEIXEM A PESSOA TRABALHAR"



No ultimo dia 13 aconteceu um ato em apoio “a democracia” organizado, claro, pela esquerda. No ato os militantes que comparecerem demonstraram apoio à Dilma e criticaram os chamados ‘golpistas’, que segundo os defensores de Dilma, querem derrubá-la para conquistar o poder.

Paulo Betti tem sido uma das vozes famosas que mais vem erguendo a Bandeira de Dilma e do PT, já que nos últimos dias não tem poupado aparições defendendo a presidente e pedindo para que o povo “deixe” ela trabalhar.

Confira o vídeo em que Betti apela ao povo para que deixe Dilma fazer seu trabalho e termine seu mandato. (vídeo gravado durante o ato em apoio a Dilma em frente ao Palácio do Planalto no ultimo dia 13)

sábado, 18 de julho de 2015

O GRANDE CRIME DE LULA É TER DEFENDIDO O BRASIL

O GRANDE CRIME DE LULA É TER DEFENDIDO O BRASIL
Por:Leonardo Attuch



Só um país à beira da irracionalidade completa pode encarar com naturalidade que um ex-presidente possa ser criminalizado por hastear a bandeira dos interesses nacionais fora do País; Luiz Inácio Lula da Silva, que preferiu defender empresas e empregos brasileiros após deixar o poder, está sendo acusado por um procurador federal de praticar "tráfico de influência internacional"; ou seja: na lógica arbitrária do MP, Lula cometeu o gravíssimo delito de defender que empresas brasileiras vencessem concorrências internacionais em países como Cuba, onde a Odebrecht fez o Porto de Mariel, e República Dominicana; ação contra Lula ganha páginas de jornais como o Financial Times, pouco tempo depois de a Foreign Affairs, bíblia da geopolítica internacional, ter exaltado o avanço do Brasil no mundo na era Lula; este legado, no entanto, pode ser destruído pelo ódio político, pelo arbítrio e por interesses internacionais que movimentam a desestabilização do País.

No primeiro dia de janeiro de 2011, quando transmitiu a faixa presidencial à sucessora Dilma Rousseff, o ex-presidente Lula poderia ter tomado uma decisão parecida com a de vários brasileiros que julgam já ter cumprido sua missão na Terra: pendurar as chuteiras, aposentar-se e curtir a vida. Naquele momento, Lula era chamado por publicações internacionais, como a revista alemã Der Spiegel, de o "o político mais popular na face da Terra". O economista Jim O'Neill, que criou a expressão BRICs, o qualificou como o mais importante líder dos últimos 50 anos no mundo, por ter sido capaz de comandar um gigantesco processo de inclusão social, dentro de uma complexa democracia.

Lula, no entanto, decidiu continuar trabalhando. Criou seu instituto, assim como fizera seu antecessor Fernando Henrique Cardoso, e passou a rodar o mundo como um embaixador informal do Brasil, de suas empresas e de seus empregos. Os focos prioritários foram a África e a América Latina, regiões nas quais, por afinidades históricas e culturais, o Brasil poderia ampliar sua influência, abrindo oportunidades para empresas nacionais e, ao mesmo tempo, reforçando a presença do País no jogo internacional. Deu certo. Tanto que, em sua mais recente edição, a revista norte-americana Foreign Affairs, tida como a bíblia da geopolítica global, destacou o avanço do Brasil como ator global nessas regiões (leia mais aqui).

Fosse o Brasil um país maduro e cioso de seu papel no mundo, Lula seria tratado como um dos seus grandes ativos. Um líder capaz de inspirar, angariar simpatias e conquistar apoios para os legítimos interesses comerciais das empresas nacionais e, também, para as aspirações diplomáticas do País. No entanto, o ódio político, a disputa pelo poder e interesses internacionais daqueles que preferem ver o Brasil numa posição subalterna o elegeram como o alvo a ser abatido.

Foi assim que Lula foi transformado pela revista Época, dos irmãos Marinho, no "operador", no "lobista" de grandes empreiteiras. A partir de uma reportagem publicada também no jornal O Globo, sobre uma viagem de Lula à América Central, teve início o processo que culminou, nesta quinta-feira, com a abertura de um inquérito criminal contra o ex-presidente Lula. A acusação: tráfico de influência internacional. Ou seja: Lula é acusado de usar sua influência em outros países em favor de empresas brasileiras. Na lógica do setor do Ministério Público que patrocinou a ação, melhor seria, decerto, que as concorrências para grandes obras na África e na América Latina fossem vencidas por empresas chinesas, norte-americanas ou espanholas, que também disputam esses mercados com empresas nacionais. Também segundo o MP, haveria tráfico de influência porque Lula abriria portas no BNDES, como se isso fosse necessário – programas de financiamento à exportação de serviços existem há décadas e beneficiam todas as empresas brasileiras que conquistam obras internacionais.

O inquérito contra Lula, no entanto, já está nas páginas de publicações internacionais, como o Financial Times e o The Wall Street Journal. Denúncias contra empreiteiras brasileiras também vêm sendo usadas por concorrentes internacionais para inviabilizar a presença das construtoras nacionais em vários mercados. O grupo Globo, que tem liderado a caçada a Lula, já defendeu, em seus editoriais, que empreiteiras nacionais sejam substituídas por empresas de fora até mesmo no mercado interno. Afinal, de acordo com a lógica dos Marinho, Lula é o criminoso a ser abatido, nem que o custo seja a destruição de algumas das maiores empresas brasileiras.

Diante de tamanha irracionalidade, o melhor remédio seria fazer do ex-presidente ministro das Relações Exteriores. Só assim, protegido da insanidade política, ele poderia continuar trabalhando em defesa de interesses nacionais, como fez nos anos em que esteve fora do poder.



domingo, 12 de julho de 2015

PRESIDENTE DA NINTENDO MORRE AOS 55 ANOS

PRESIDENTE DA NINTENDO MORRE AOS 55 ANOS
Presidente da Nintendo, Satoru Iwata, morre aos 55 anos de idade
12 de julho de 2015 

A Nintendo afirmou na noite deste domingo (12) que o presidente da empresa, Satoru Iwata, morreu no último sábado (11) aos 55 anos de idade.

A informação foi dada em uma carta, publicada em seu site oficial, indicando que a causa do falecimento foi um câncer em seu canal biliar.

Iwata vinha lutando contra um tumor. Em julho de 2014, realizou uma cirurgia, que o deixou afastado de seu cargo por seis meses, impedindo-o de participar da E3 do mesmo ano.

A Nintendo ainda não informou quem ocupará a vaga de Iwata, mas reforçou que Genyo Takeda e Shigeru Miyamoto permanecem na empresa como diretores representativos.
De programador à presidente

Satoru Iwata começou a sua carreira na indústria dos videogames ainda jovem, trabalhando como programador para a HAL Laboratory Inc., uma subsidiária da Nintendo, enquanto ainda cursava ciências da computação no Instituto de Tecnologia de Tóquio.

Em 1983, Iwata se tornou o coordernador de produção de software da HAL, ajudando na criação de títulos comoEarthBound, a série Kirby e Balloon Fight. Dez anos depois, em 1993, ele chegou à presidência da HAL.

Em 2000 ele foi indicado como diretor da Nintendo, cuidando da parte de planejamento da empresa, para em 2002 substituir o antigo presidente da empresa Hiroshi Yamauchi. Em 2013 Iwata assumiu o cargo de CEO daNintendo of America. Apesar do cargo executivo, o presidente da Nintendo era também uma das maiores personalidades dentro da empresa, frequentemente falando diretamente ao público através do Nintendo Direct.

Leia a carta escrita por Iwata em 2014 aos acionistas da Nintendo, na qual ele anunciava a descoberta do câncer e a necessidade de afastamento temporário:

“Muito obrigado pelo seu extraordinário e contínuo apoio. Eu sou Satoru Iwata, o presidente da empresa.

Hoje, há uma coisa que eu gostaria de compartilhar com você. Recentemente, como resultado de um dos meus exames físicos de rotina, um problema foi detectado. Após um exame mais detalhado, foi encontrado um crescimento nas minhas vias biliares.

Geralmente, é dito que um crescimento nas vias biliares pode ser difícil de ser tratado, devido à dificuldade de detectá-lo precocemente. No meu caso, felizmente, foi detectado muito cedo e eu não apresentava sintomas.

Fui aconselhado que a remoção em fase inicial seria a opção médica mais desejável. Por isso, eu fiz uma cirurgia na semana passada e estou bem, como o previsto. Eu já retomei meu serviço por e-mail e outros meios, mas antecipo que será preciso um pouco mais de tempo para voltar ao meu horário de trabalho regular.

Como resultado, não tenho escolha a não ser me ausentar da importante atividade da empresa, a Assembleia Ordinária Geral de Acionistas, que será realizada neste mês. Como presidente da empresa, lamento não poder participar da reunião.

No entanto, compreendo que tenho que priorizar o meu tratamento médico para me recuperar o mais rápido possível para que eu possa voltar a fazer o meu melhor para ajudar a empresa a crescer. Espero que você entenda.”


DEPUTADO CATARINENSE CRIOU LEI QUE BENEFICIA ESCRITORES LOCAIS

http://colunadiamante.blogspot.com.br/2015/07/deputado-catarinense-criou-lei-que.html
DEPUTADO CATARINENSE CRIOU LEI QUE BENEFICIA ESCRITORES E ARTISTAS LOCAIS

Mais de 34 autores catarinenses já tiveram livros publicados pela Lei Estadual 15.019/2009, do deputado estadual Jorginho Mello (PR), que foi governador interino em 2009.

A lei autoriza a Imprensa Oficial a publicar 100 cópias, sem custo de obras de autores catarinenses sem recursos para tal.
A segunda edição custará 20% do custo real, a terceira, custará 30% e assim por diante, até atingir o valor real.
Um exemplo a ser seguido em todo o Brasil. Parabéns, deputado!

Saiba mais em:

segunda-feira, 6 de julho de 2015

É FRAUDE: ATAQUES A MAJU NÃO É CULPA DO PT.

http://colunadiamante.blogspot.com.br/2015/07/e-fraude-ataques-maju-nao-e-culpa-do-pt.html
É FRAUDE! ATAQUES À MAJU. NÃO É CULPA DO PT.

Como mostrou  site "E-farsas.com", ocorreu uma confusão com o nome de duas empresas, uma das quais se chama Pepper Comunicação Integrada e a outra Peppr Interativa.

Na primeira o marido de Maju tem sociedade, mas não está sob investigação e é de São Paulo A segunda fica em Brasília. e está sob investigação.

Outro problema é que ambas as empresas trabalham com marketing digital, mas a primei não possui clientes governamentais e a segunda sim.

Descaradamente tentaram distorcer as coisas nas redes sociais, de modo a novamente culpar o PT, como se tudo não passasse de manobra política. 

A verdade é que o Brasil é um país racista e a direita tenta se aproveitar sempre da oposição com medo de perder o lugar de vez. Mas, essa questão ultrapassa partidos.

O problema é que vivemos em um mondo arrogante e ignorante que ainda tem uma falsa ideia de um sistema de castas onde uma pessoa negra não pode obter sucesso na vida. Isso é estúpido!

#Força_Maju!
Ateu Poeta