Coluna Diamante

Extensão do Jornal Delfos-CE: http://jornaldelfos.blogspot.com.br/
O nome Diamante é por conta do primeiro livro impresso no mundo, o Diamante-Sutra, sem o qual não existiria a impressão como a conhecemos hoje em dia.

terça-feira, 8 de maio de 2018

RELAÇÕES INTERPESSOAIS

José Aroldo Gonzaga Arruda Filho 
Historiador Pós-Graduado em Gestão Escolar

Em uma das escolas públicas que trabalhei há alguns professores que se intrigaram com alguns estudantes, a maioria conta os dias para os feriados e reclama muito. 

Não havia um real comprometimento como o que eles querem demonstrar, ainda por cima a gestão se preocupa muito com a nota dos estudantes e não com o aprendizado, batiam o nível por baixo.  

A mesma escola ainda era cheia do goteiras e para ter merenda nós íamos ter que fazer um rateio; porque os professores não têm direito de comer da merenda escolar.

A verdade é que muita gente vai para sala de aula ou assume um outro cargo mesmo acima muito mais por indicação do que por vontade de realmente ser professor. Eu vejo muitos ex-piores de sala como sendo professores. 

A primeira coisa a se notar é que eles não estão fazendo algo que gostam mas visando simplesmente o dinheiro, mesmo professor não ganhando muito, mas na sociedade de hoje há uma concorrência muito grande para outros empregos e muita gente vai para a sala de aula pensando ser o mais fácil; o que acaba não sendo, por ser muito mais complexo do que simplesmente seguir o que está escrito.

A escola pública hoje tem uma obrigação de passar os estudantes de ano, isso que também é ruim e deveria ser visado o aprendizado não apenas o quanto de gente se passa ou reprova, mas o país em si quer demonstrar para fora que tem um nível de letrados maior do que realmente tem, por haver analfabetismo funcional

Por falta de uma boa base, a maioria não consegue passar do Ensino Médio; e mesmo os que fazem faculdade mais tarde têm grande dificuldade até de fazer trabalhos porque não sabem ler e compreender o que leram.

Vivemos em um tempo de uma escola pública de faz de conta e o principal problema é essa coisa de passar de ano o estudante sem saber de nada. A insubordinação cresce se o estudante nota que terá várias chances de recuperação quando só decora para o dia da prova e esquece depois. 

O próprio modelo em si de escola pública deveria ser revisado e ter um maior repasse da União também para que não existam mais escolas com tamanha precariedade.
______________________________________________________
Trabalho de Pós-Graduação em Gestão Escolar no ano de 2016